Contatos

São Paulo

Rua Américo Brasiliense, 1923 - Conjunto 906 - Chácara Santo Antônio (Zona Sul) - São Paulo/SP

 (11) 3199-2930
(11) 95060-0756

Rio de Janeiro

Rua Lauro Muller, 116 - Botafogo - Rio de Janeiro/RJ

(21) 3195-0390

Visite o nosso site

O RealtyCorp Analytics é o informativo trimestral da RealtyCorp que analisa os dados do mercado de escritórios de São Paulo e Rio de Janeiro. Além disso, também considera os dados dos condomínios logísticos e industriais do estado paulista. Como o 1 trimestre do ano já está fechado, chegou o momento de compartilhar os resultados apurados.

No texto abaixo apresentamos os dados do fechamento do 2T/2022. Para conferir o relatório na íntegra, clique aqui.

O cenário atual do mercado de escritórios em São Paulo é positivo

Quando falamos da cidade de São Paulo, seus números atuais mostram 11,644 milhões de m² locáveis de escritórios em edifícios Corporate (lajes corporativas) e 5,062 milhões de m² locáveis de escritórios em edifícios Office (pequenas salas comerciais). Isso totaliza 16,707 milhões de m² de escritórios na cidade de São Paulo.

O estoque total de edifícios Corporate A+ representa 15,74%; 12,40% são edifícios Corporate A e 41,56% edifícios Corporate Classes B e C (conhecido como Outros), totalizando 69,70% de escritórios Corporate na capital. Os 30,30% restantes estão em edifícios Office.

O impacto causado pela pandemia da Covid-19 começou a ser absorvido pelo mercado de escritórios no final de 2021 e pelo que se consegue observar, seguiu essa tendência no 1º trimestre de 2022.

Houve uma absorção líquida positiva considerável no universo de edifícios Corporate (todas as Classes) de 59.050 m², a maior desde o início da crise sanitária, como mostra o gráfico abaixo.

Fonte: RealtyCorp

Outro destaque é sobre a taxa de vacância do Corporate A/A+, que caiu de 22,35% no final de 2021 para 22,01% no 1º trimestre de 2022; já a taxa de vacância do Corporate B e C (Outros) caiu de 20,63% para 20,20%.

Estes dados apontam para uma retomada do crescimento da taxa de ocupação dos escritórios Corporate na cidade paulista. Pelo segundo trimestre consecutivo, a absorção líquida é positiva e a taxa de vacância mostra uma tendência de queda regular para os próximos meses, tanto no segmento Corporate A/A+, quanto no segmento Corporate B e C (Outros).

Destaque para Alphaville: taxa de vacância recua

O estoque total de escritórios da região de Alphaville (Barueri) é de 1,368 milhões de m² locáveis. Sendo que do estoque total, 37% está em edifícios Office (pequenas salas comerciais), 15,23% em edifícios Corporate Classe A+, 28,77% em edifícios Corporate A e 19% em edifícios Corporate¹ B e C (Outros).

A taxa de vacância Corporate de Alphaville – que caminha na média dos 30% desde o início de 2016 – teve alta durante a pandemia, mas recuou nos últimos 2 trimestres. O 2º trimestre de 2022 fechou com 30,79% de taxa de vacância.

Esse cenário, alinhado a outros fatores, fez com que a média dos preços pedidos de locação em Alphaville – de R$ 47,73/m² – tenha sido 30% menor que a média de toda a cidade de São Paulo (R$ 68,10/m²), considerando todo o universo Corporate de cada cidade.

Mercado de Escritórios na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro)

A Barra da Tijuca é formada, predominantemente, por edifícios Office ((pequenas salas comerciais) de médio padrão. Em relação ao mercado corporativo, o bairro possui 41 edifícios corporativos de alto padrão que compõem o mercado Corporate Classes A e A +.

O mercado corporativo da Barra tem se caracterizado por uma alta taxa de vacância há vários anos, principalmente após as Olimpíadas de 2016.

A taxa de vacância da Barra, que girava em torno de 36% para todo o universo Corporate durante os últimos 5 anos, diminuiu consideravelmente nos últimos dois trimestres. No 1º trimestre de 2022 ela fechou em 30,59%, a menor taxa de vacância Corporate na desde o final de 2016.

Os números do setor industrial continuam bons

O Brasil possui 28,203 milhões de m² locáveis de galpões em condomínios industriais e/ou logísticos, sendo que somente a região Sudeste detém 21,291 milhões de m² desse estoque.

A região Sudeste já possui mais de ¾ do estoque total brasileiro. Apenas o estado de São Paulo possui 55,19% do estoque total brasileiro; o Rio de Janeiro 9,72% e Minas Gerais 7,74%.

A taxa de vacância no estado paulista aumentou de 12,21% no 4º trimestre de 2021 para 13,54% no 1º trimestre de 2022. Contudo, esse número se deve principalmente ao grande aumento do novo estoque entregue nos últimos dois trimestres: foram 1,196 milhões de m² nos últimos 6 meses. Por outro lado, a ocupação total aumentou em mais de 700 mil m² no mesmo período.

O eixo Bandeirantes/Anhanguera é o que possui o maior estoque em condomínios industriais e/ou logísticos no estado, com 7,401 milhões de m² locáveis. Isso representa 47,54% do estoque total do estado paulista. A taxa de vacância do eixo fechou o 1º trimestre de 2022 em 16,38%.

Para todos os números e detalhes dos mercados de São Paulo, Rio de Janeiro e de condomínios logísticos e industriais do Brasil, consulte nosso relatório completo, clicando aqui.


Texto escrito por: Marcos Alves, sócio Diretor da RealtyCorp.

Marcos Alves é sócio fundador da RealtyCorp e atualmente lidera as áreas de gestão estratégica, operacional e de marketing da empresa, como Diretor de Operações e Marketing. Possui 22 anos de experiência no mercado imobiliário corporativo, período em que desenvolveu e participou de diversos negócios e projetos relacionados à desmobilização de carteiras, investimentos imobiliários, incorporações, gestão de contratos e representação corporativa. Nos últimos anos tem se especializado em analisar o comportamento do mercado de escritórios nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro e o mercado de galpões industriais e logísticos. Além de assumir a gestão estratégica de Marketing da RealtyCorp. Iniciou sua carreira imobiliária em 2000 na CBRE, em 2004 participou ativamente da fundação da Ocupantes, atuando como sócio até 2013 e em 2014 fundou a RealtyCorp. Analista de Sistemas, com MBA USP em Real Estate. Ele também é Membro da Royal Institution of Chartered Surveyors (RICS) – MRICS e fala Português, Inglês e Espanhol. Outro destaque está ligado ao seu grande envolvimento em projetos sociais e trabalho voluntário na Comunidade Cristã da Zona Sul de São Paulo, onde participa ativamente nas horas vagas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *