Contatos

São Paulo

Rua Américo Brasiliense, 1923 - Conjunto 906 - Chácara Santo Antônio (Zona Sul) - São Paulo/SP

 (11) 3199-2930
(11) 95060-0756

Rio de Janeiro

Rua Lauro Muller, 116 - Botafogo - Rio de Janeiro/RJ

(21) 3195-0390

Visite o nosso site

As últimas previsões divulgadas pelo Governo Federal dão conta de que a população brasileira – acima de 18 anos – estará vacinada até o mês de dezembro deste ano. Se isso de fato se cumprir, significa que estamos perto de alcançar a “normalidade” tão desejava.

Quando a pandemia começou lá em março de 2020, fomos tomados por um caos nos negócios e nas relações pessoas e profissionais. Mas agora, segundo dados dos principais jornais, já são mais de 96 milhões de brasileiros totalmente imunizados contra a Covid-19. Isso corresponde a 45,25% da população do país.

De acordo com matéria publicada no G1 (06/10), São Paulo é o primeiro estado com maior porcentagem da população imunizada (59,48%), com segunda dose ou dose única. Na sequência vem Mato Grosso do Sul (59,01%), Rio Grande do Sul (51,31%), Paraná (47,25%) e Espírito Santo (46,22%).

Outra boa notícia, publicada na Agência Brasil (06/10), diz que a economia brasileira deve crescer 5,3% em 2021. Uma estimativa mais otimista que os 4,5% de incremento que a instituição projetava para o Brasil em junho passado.

O Produto Interno Bruto brasileiro, outro fator de extrema importância para a retomada da economia, deve avançar já em 2022 e em 2023, respectivamente, 1,7% e 2,5% – percentuais menores que as expectativas para toda a América Latina e Caribe, mas ainda assim, positivos.

Panorama dos últimos meses

Como este ano passou bem rápido e já estamos no último trimestre, é natural começar a pensar no que o ano de 2022 nos reservará. E quais expectativas carregaremos na bagagem.

Como já abordado em artigos anteriores, os meses de crise sanitária foi o momento ideal para reorganizar a casa – em vários aspectos.

Com os prédios e salas comerciais fechadas, a pandemia ofereceu a possibilidade de reformas, readequações e reduções sem interferir na qualidade do trabalho das equipes – já que os colaboradores estavam em home office. Para saber mais, clique aqui.

Vários temas nortearam as conversas entre proprietários e inquilinos para quando a normalidade voltasse: retrofit, certificações, acessibilidade, facilities, mudanças de região, entre outros. Para saber mais, clique aqui.

Também antevemos alternativas ou tendência para as empresas, como a criação de “Hubs Regionais”, por exemplo – a fim de atender os funcionários em outras partes da cidade, evitando ou minimizando o deslocamento de horas em transportes cheios. Diferente do home office, a ideia do Hub Regional é justamente ser um ‘anywhere office’. Para saber mais, clique aqui.

O que esperar do mercado imobiliário para 2022

Caso você não tenha visto, publicamos recentemente um novo vídeo no canal da RealtyCorp com uma projeção de crescimento do mercado de escritórios corporativos na cidade de São Paulo para 2022.

Com a pandemia, tivemos 5 trimestres de absorção líquida negativa (que é quando o mercado cresce ou deixa de crescer em metragem quadrada de um trimestre a outro).

Esse quadro de absorção líquida negativa, obviamente, fez com que a taxa de vacância subisse muito, de 13,20% no 1T/2020 para 20,67% no 2T/2021.

Porém, agora, neste 3T2021, estamos verificando uma tendência de estabilização já com um possível crescimento de demanda, o que deve se manter no 4T/2021 e acelerar durante o ano de 2022.

Pela nossa experiência de mercado e análise de vários fatores, acreditamos que no 4T/2022 chegaremos a mesma metragem ocupada de antes da pandemia (1T/2020), algo em torno de 9,8 milhões de m² de ocupação e uma taxa de vacância por volta dos 16%. Para conferir o vídeo na íntegra, clique aqui.

Vale lembrar, ainda, que em 2022 também teremos desafios em relação à questão política – será um período agitado e de muitas especulações em razão das eleições, além da Copa do Mundo – outro evento que suprimi ainda mais o ano.

Mas vamos aguardar as etapas chegarem para também avaliar como esses fatores podem impactar – positiva ou negativamente – o mercado de escritórios. Esse tema, inclusive, requer um novo artigo.


Texto escrito por: Fernando Acédio, consultor de negócios da RealtyCorp.

Fernando Acédio

Com 20 anos de experiência profissional em empresas privadas multinacionais, na área de Real Estate, Pesquisa de Mercado, Negociação de Imóveis (compra e venda), Negociação de Contratos de Locação, Busca de pontos/imóveis em todo o território nacional, Coordenação da 1ª pesquisa (50 pessoas) de áreas industriais (galpões, terrenos, fábricas) detectando novas demandas, ofertas e tendências de mercado realizado na Grande São Paulo.


Centro Empresarial Limão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *