Contatos

São Paulo

Rua Américo Brasiliense, 1923 - Conjunto 906 - Chácara Santo Antônio (Zona Sul) - São Paulo/SP

 (11) 3199-2930
(11) 95060-0756

Rio de Janeiro

Rua Lauro Muller, 116 - Botafogo - Rio de Janeiro/RJ

(21) 3195-0390

Visite o nosso site

A região da paulista possui o segundo maior estoque de edifícios comerciais de São Paulo – 528 edifícios que totalizam 2,76 milhões de m² – ficando atrás apenas da região Centro com 585 edifícios e 2,94 milhões de metros quadrados.

Durante muitos anos (até o final da década 90) foi a principal região corporativa da capital Paulista. Seus edifícios eram ocupados pelas grandes empresas nacionais e multinacionais, principalmente do setor financeiro e ganhou o apelido de “O Coração Financeiro do Brasil”. As grandes corporações sempre foram muito exigentes na escolha de seus escritórios, analisando a infraestrutura e serviços da região (segurança, transporte público, hotéis, restaurantes, etc.), e também a qualidade dos edifícios (imagem corporativa, especificações técnicas, tecnologia e eficiência da laje).

Por ser a região que atendia essas exigências do mercado corporativo, somada a falta de concorrência de outras regiões que atendessem todas essas premissas, a região Paulista dominou o mercado corporativo por anos.

O tempo passou, novos polos corporativos foram criados em São Paulo, como a região da Faria Lima/Itaim, a Vila Olímpia e a Berrini, com edifícios mais modernos e imponentes, e a Paulista começou a sofrer com o movimento flight-to-quality. Mas a Paulista é resistente e, mesmo com a grande migração de empresas financeiras para a região da Faria Lima, conseguiu manter sua taxa de vacância abaixo de 10% até o final de 2015. O problema é que do começo de 2016 até agora esta taxa de vacância tem oscilado acima de 10%, chegando ao pico de 16% no começo de 2017.

Analisando alguns números da Paulista podemos tirar nossas conclusões:

  • Estoque de 2,76 milhões de m² – 66% de Edifícios Corporate e 34% de Edifícios Office (pequenas salas comerciais);
  • Do estoque total, apenas 2,32% é de edifícios corporate A+; 9,69% edifícios corporate A e 53,82% de edifícios classe B e C (conhecidos como Outros).
  • Atividade Construtiva da região – 65.850 m² (38.636 m² A+, 20.060 A, 7.154 m² Outros)

Os números acima demonstram que a maior parte do estoque de edifícios corporate da região é antigo (B e C, conhecidos como Outros), e o percentual de edifícios A+ é muito baixo. E quando olhamos o potencial de novo estoque não é animador, apenas 2,4% do estoque atual em construção, sendo apenas 1,4% no corporate A+, e isso é baixíssimo!

A pergunta que não quer calar: O que fazer para a Paulista voltar a ser o polo de edifícios corporativos e modernos da capital?

RETROFIT

Esta pode ser a grande solução, principalmente considerando a escassez de terrenos na região, especialmente de áreas maiores.

Em muitos casos, o retrofit pode ser uma solução mais interessante e rentável, mesmo quando há terrenos à venda, conforme podemos observar:

Localização: O edifício construído geralmente está melhor localizado que os terrenos disponíveis;

Área Construída: Em muitos casos, os edifícios antigos têm área maior do que teria de potencial construtivo se considerarmos uma nova construção para o mesmo terreno;

Custo de Retrofit: O custo para retrofitar um prédio é bem menor do que construir um novo, porque boa parte da infraestrutura é reaproveitada. Em uma nova construção também há os custos de CEPACs e outorga onerosa;

Prazo de obra: O tempo do retrofit é bem menor que uma nova construção;

Obras com ocupação: Em muitos casos, os edifícios podem ser retrofitados mesmo estando ocupados.

É obvio que o retrofit não tem apenas vantagens – ou então não teríamos mais edifícios antigos -, mas ainda é um modelo de negócio pouco explorado em São Paulo.

Abaixo alguns exemplos de edifícios da Paulista que foram retrofitados, e com resultado bem positivo:


Texto escrito por: Alan Roger, sócio Diretor da RealtyCorp.

Fundou a RealtyCorp Consultoria Imobiliária no final de 2013, atuando desde então como diretor de investimento e de novos negócios. Com 16 anos de experiência no mercado de corporate real estate, representou e ainda representa grandes corporações nacionais e multinacionais em transações de locação, venda e compra, consultoria em investimentos imobiliários, projetos de Sale & Leaseback, projetos de Built-to-suit, avaliações de portfólio imobiliário e projetos de desenvolvimento imobiliário. Formado em Administração de Empresas pela Universidade Bandeirantes, possui curso de Técnicas Militares pela Polícia Militar do Estado de São Paulo e  Especialização em Direito Imobiliário pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com conhecimento especializado em Legislação Imobiliária Local e em Operações Típicas de Ocupação no Brasil, além do curso Técnico em Transações Imobiliárias, inscrito ao CRECI sob nº 73.991.

2 Comments

  • Bradly Tildesley, 08/03/2022 @ 17:04 Reply

    I am extremely impressed with your writing skills and also with the layout on your weblog.
    Is this a paid theme or did you modify it yourself?

    Anyway keep up the nice quality writing, it’s
    rare to see a nice blog like this one today.

    • Bruno Andrade, 16/03/2022 @ 16:57 Reply

      Brandly, thank you for your comment and to follow us. We work hard to deliver the best content to you, and we did the design ourselves. Keep up following us for to see the next content.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *